Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Hora de embalar e partir.

Imagem
Chegou a hora de partirem para cada uma das ilhas as câmaras fotográficas. 
Em cada uma das caixas seguirá uma câmara pinhole, contendo no seu interior papel fotográfico, acompanhada de uma carta de agradecimento pela participação no projecto e com uma explicação dos procedimentos. Em anexo segue igualmente uma folha de campo para que cada um dos participantes inscreva  os pormenores da experiência.
Quando as caixas chegarem aos seus destinos esperamos receber noticias vossas, não em forma de postal dos correios, mas de uma simples fotografia, que aqui colocaremos, demonstrando os laços que começam a ser construídos.
Tudo vai ganhando forma e consistência. Tal como devem ser todas as ideias que um dia ganham existência.








Estão preparadas para seguir!!

Imagem
As 11 câmaras pinhole estão agora preparadas para seguir para os seus destinos. 
Em cada uma foi colocado papel fotográfico ( infelizmente não vamos utilizar o papel Brovira que não se comportou bem no teste que fiz, tendo sido substituído por um multi contraste da Agfa ), o qual foi preso com um pouco de fita cola e pioneses. as quais, quando chegarem aos destinos devem ser verificadas, na penumbra e rapidamente a fim de corrigir algum deslocamento durante o transporte dos CTT.
Em cada uma delas foi colocado ainda um aviso de que se trata de uma câmara pinhole, pedindo a quem a encontre que não a retire e que consulte o nosso blog para mais informações.
Foram ainda as mesmas numeradas, para que se torne mais fácil a posterior identificação, mas igualmente para permitir que quem as encontre se possa dirigir ao nosso Blog para saber quem é o responsável pela mesma. Os contactos serão feitos sempre através do Blog, podendo ser encaminhado para mais explicações ou adesão local ao projec…

A colocação do material sensível - Papel com 60 anos de idade.

Imagem
Qualquer fotografia exige tempo, luz e um material sensível onde a imagem será gravada. Tudo o resto é acessório.

Dito desta forma, foto-grafar, desenhar com o sol, é um processo que existe "naturalmente na natureza" pela combinação desses três elementos.
Ao Homem apenas lhe coube o mérito de ter, a dada altura da sua evolução, conseguido controlar racionalmente estes três elementos de forma a criar imagens que lhe seriam úteis e ou belas.
Neste nosso projecto iremos tentar, da forma mais simples possível, obter imagens das 9 ilhas dos Açores, o que para tal nos obriga a dominar estes três elementos de forma artesanal.
As câmaras que se construíram, de velhas caixas de cartão em que se fez um pequeno furo (estenopo) irão controlar a Luz que entrará no seu interior.
O Tempo será ditado pelos nossos amigos em cada uma das 9 ilhas, devendo ser de pelo menos uma semana.
Quanto ao material sensível é disso que hoje trataremos.
Quando a luz incide num material este poderá alterar-…

Projecto #Azores_in_a_can capta a atenção da imprensa Regional

Imagem
Na Edição de hoje do Correio dos Açores é dado destaque a este nosso projecto, o qual agradecemos.

Relembramos que esta iniciativa pretende fotografar as 9 ilhas dos açores com recurso a uma técnica fotográfica, porventura a mais simples de todas, denominada de Solargrafia.

Pegámos em caixas de cartão que estavam no lixo,


Fizemos um furo em cada uma delas e pintamo-las de preto para que a luz não ande a dançar.


No interior vamos colocar papel fotográfico, antigo e fora de prazo que estava no lixo de uma antiga loja de fotografias de Beja e que nos foi oferecido.


Procurámos por todo o Arquipélago quem estivesse na disposição de tentar fotografar a sua ilha com estes aparatos estranhos.
Recebemos 11 voluntários.



Em brave as caixas partirão para cada um dos destinatários. O que irão trazer no seu interior para além da luz-tempo que ficará gravada no seu interior?

No que iremos obter com o lixo que mais ninguém queria?

Lista Completa de Participantes

Imagem
A primeira parte do projecto está completa com a existência de voluntários em todas as ilhas.
Deste lado é altura de colocar o papel fotográfico nas "máquinas" e preparar o envio pelos CTT para os seus destinatários.
No destino escolhem-se os locais, agendam-se iniciativas e actividades que em torno destas caixas irão contribuir para estarmos, mais uma vez, mais perto uns dos outros, reconhecendo-nos unidos na diversidade.
Sei que serão dinamizados encontros informais, sei que serão lidos poemas, sei que se ensinará aos mais pequenos coisas como o movimento aparente do sol, a história da fotografia...sei que, tal como uma sopa da pedra começa com uma simples pedrinha, aqui, em torno de uma caixa vazia, iremos conseguir fazer e construir pontes...seja lá para onde for.

Museu Francisco Lacerda de São Jorge junta-se a nós.

Imagem
Foi com bastante alegria, mesmo já havendo um colaborador em cada ilha, que recebemos um pedido de adesão por parte do Serviço Educativo do Museu Francisco Lacerda, na Ilha de São Jorge.
Não podemos dizer que não. Aliás, procurámos ter um amigo em cada ilha, mas nada impede que hajam mais.
Conta-nos a nossa amiga Catarina Rosa, deste Serviço Educativo que o Museu já tinha realizado oficinas Pinhole ( técnica-mãe da Solargrafia) abertas ao público e com a comunidade escolar – integradas numa exposição temporária de câmaras analógicas em que a revelação foi feita no museu, num laboratório improvisado.
Diz-nos que também por esta experiência anterior, terão muito gosto em participar neste projecto.

Pois claro que sim. Gostamos de Serviços Educativos que pensam e procuram permanentemente inovar e cativar os seus públicos, não se ficando pelo comum e mais fácil.
Em breve uma caixinha máquina irá ter convosco.
Obrigado.
O Espaço online do Museu Francisco Lacerda pode ser visitado em http://www.mus…

O Parque Natural da Graciosa junta-se ao projecto!

Imagem
Procurando quem recebesse o projecto Solargrafia na Graciosa, ilha que se faltava juntar, eis que recebemos amável contacto do nosso caro amigo Pedro Raposo, Director do Parque Natural da Graciosa, a dizer que aquela instituição iria receber a nossa caixa mágica.
A todos os que se irão juntar agradecemos desde já pela coragem em se juntar a este barco.
Até breve.


Acerca do Parque Natural da Graciosa
"O Parque Natural da Graciosa constitui a unidade de gestão das Áreas Protegidas da ilha Graciosa e insere-se no âmbito da Rede Regional de Áreas Protegidas da Região Autónoma dos Açores, criada pelo Decreto Legislativo Regional n.º 15/2007/A, de 25 de junho. Criado pelo Decreto Legislativo Regional n.º 45/2008/A, de 5 de novembro o Parque Natural da Graciosa levou à criação de 8 Áreas Protegidas terrestres e marítimas, classificadas segundo quatro categorias da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza). As áreas integrantes do Parque Natural da Graciosa são: A Reserva Na…

O Pico junta-se a nós!

Imagem
No Pico a captura da luz estará a cargo do nosso amigo Manuel Fernandes, Biólogo Marinho e Fotógrafo.
A ele o nosso obrigado por ter aceitado o desafio, de trocar as fotografias de centésimas de segundo por outras que demoram um mês a formar a imagem.

Abraços e até breve.